Escoliose tem cura?

Atualizado: Fev 9

Quando falamos de escoliose, devemos sempre lembrar que existem duas maiores classificações: Escoliose Estrutural e Escoliose Funcional.

Na Escoliose Funcional (atitude escoliótica) a estrutura óssea das vértebras se mantém preservada e a atitude escoliótica se dá devido a um problema secundário, como por exemplo, uma diferença de comprimento de membros inferiores ou uma postura antálgica (postura adotada para evitar a dor) da coluna. Nesse caso (Escoliose Funcional), uma vez eliminada a causa desta atitude escoliótica, ela pode ser “curada”. Por exemplo, podemos observar em muitos pacientes com dor lombar, que eles se mantêm em uma posição (que chamamos de postura antálgica ou também de side shift) para aliviar os sintomas causados pela compressão neural. Eliminando a dor e reabilitando este paciente, a sua postura antálgica desaparece, ou seja, ao eliminar a causa (dor) do indivíduo se manter em uma atitude escoliótica (posição antálgica), a coluna se alinha novamente.

Já na Escoliose Estrutural, há uma deformidade óssea instalada e ela se subdivide em causas conhecidas (20% dos casos) e causas idiopáticas (80% dos casos). Sendo a Escoliose Idiopática 80% dos casos das Escolioses Estruturais, daremos foco, neste artigo, para este tipo de escoliose.

O termo Escoliose Idiopática se aplica a todos os pacientes em que não é possível definir uma causa específica para a deformidade da coluna. Sendo assim, também não sabemos ainda sobre sua cura.

No entanto, os Exercícios Fisioterapêuticos Específicos para Escoliose (PSSE) tem um papel importante no seu tratamento.

De acordo com publicações recentes da Sociedade de Tratamento Ortopédico e de Reabilitação da Escoliose (SOSORT), com tratamentos conservadores é possível e comumente suficiente prevenir progressões futuras. Além disso, tem objetivos embasados na melhora da estética do paciente, na qualidade de vida, incapacidades funcionais e bem estar psicológico.


Podemos listar também os objetivos básicos do tratamento conservador desta forma:

1. Parar a progressão da curva na puberdade (ou uma possível redução da curva);

2. Prevenir ou tratar disfunções respiratórias;

3. Prevenir ou tratar dor na coluna e,

4. Melhorar a estética através da correção postural.


Além dos PSSE, outro modo de tratamento conservador é o uso do colete, que demonstra ser eficiente na prevenção da progressão da curvatura, pode reduzir a prevalência de cirurgias, restaurar o perfil sagital e influenciar na correção das rotações vertebrais (uma das alterações das escolioses estruturais).

A combinação dos PSSE com o uso do colete demonstra também grande eficácia na prevenção da progressão da curvatura e melhora da qualidade de vida do paciente com Escoliose Idiopática.

Acompanhe e se informe sobre a Escoliose e o tratamento conservador em nossas redes sociais. Família e paciente bem informados, sempre será o primeiro e maior passo para o sucesso no tratamento. Conte conosco!







Conteúdo Autoral desenvolvido pela

Dra.Aline Granato Barbosa

109 visualizações
DÚVIDAS FREQUENTES

O “Tratando Escoliose” tem como objetivo compartilhar informações de cunho clínico e cientificamente comprovadas a respeito da escoliose e seu tratamento. Além disso, disponibilizamos uma lista de profissionais qualificados, com certificações oficiais e seus contatos.

FALE CONOSCO
  • Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo
Agência Portátil ©2019 Sociedade Sul-Americana de Fisioterapia - Especializada em Escoliose. Todos os direitos reservados.